18/5 a 5/6 - Magia das cores - Simone Santos
Temática revelada através de paisagens românticas, reforçadas e agraciadas por toques de sensibilidade, cheios de movimento e ritmos.

  Raquel Taraboreli
  Marí, José
  Sansão Pereira
  Rodolfo Bermudez
  Elon Brasil
  Carmem Florà
  Calderon, Manuel
  Manolo Saez
  Cláudia de Vilafamés
  Adriana Garibaldi
  Walter Munhoz
  Dora Parentes
  Lourenço
  Carlos Dangeli
  Ceballos
  Rubens Vargas


  Osmundo Teixeira
  Hildebrando Lima
  Marcelo Neves
  Margarita Farré
  Santos Lopes


Santos Lopes

cadastrado no grupo de escultores

algumas das obras expostas

       

 

Suas obras também se encontram na Manolo Saez Galeria de Arte – Curitiba - PR

Nasceu em 1948, na cidade de Abrantes, Portugal. Fotógrafo, professor, ceramista e escultor, viajou pela Europa, África e EUA, onde, em Nova York, freqüentou a Art Students League como assistente de Nathanaiel Katz . Prosseguiu suas viagens de estudo e pesquisa, chega ao Brasil em 1975, e fixa residência em São Paulo.
  Em 1976 integra o movimento de poesia e arte no Teatro Municipal de São Paulo, no mesmo período em que começa a transmitir seus conhecimentos a um pequeno grupo de alunos.
  Em 1978 recebe o Prêmio Ademar Costa, realizando também sua primeira exposição individual no Brasil.
  Em maio de 1979, expõe Nova York, na National Art Center Galery.
  Em 1980 participa da coletiva cavalos, realizada na Galeria Azulão, em São Paulo, é convidado e representa os escultores na II Bienal de Artes Plásticas do Círculo Militar. No mesmo ano, as suas obras integram a mostra anual "Brasil Arte Turismo Internacional", no Rio de Janeiro.
  Em março de 1981 faz parte da equipe que representa o Brasil na International Art Exposition, no New York Coliseum, em Nova York.
  Em 1982, integra uma exposição coletiva no Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo; e participa na "Mostra de Artistas Portugueses" promovida pela Embaixada de Portugal, em Brasília. Integra a exposição "100 anos de Escultura no Brasil", no Museu de Arte de São Paulo e, ainda neste ano, com um grupo de escultores coordenados por ele, faz uma mostra coletiva no Museu da Imagem e do Som, de São Paulo.
  Em 1983 Expõe em retrospectiva no Museu da Pinacoteca do Estado de São Paulo. Em seguida, também em São Paulo, a convite do consulado de Portugal, representa os escultores portugueses no evento "Encontros com a Cultura Portuguesa".
  Em 1984 realizou exposições individuais em São Paulo, na Galeria de Arte Aplicada, e no Rio de Janeiro, na Galeria Arte Pura.
  Em 1985, entre outras, faz individuais em Brasília na Galeria Performance, e em Goiânia, na Multiarte Galeria.
  Em 1989, expõe individualmente “Bronzes e Mármores”, em São Paulo, na Galeria Skultura.
  Em 1990, participou com seus trabalhos na 12th Annual ARTEXPO New York, no Jovits Convention Center.
  Em 1991, fez exposição no Museu de Arte Contemporânea de Campinas.
  Em 1993, nova exposição individual na Galeria Painen em Berlim.
  Em 1994, expõe “Fragmentos Poéticos – Fernando Pessoa”, na Galeria de Arte André, em São Paulo. É o único representante do Brasil a integrar a edição 94 do catálogo Kawaguchi Public Art, da Kawaguchi Metal Industries, de Tóquio, na mostra que selecionou 23 escultores do mundo inteiro.
  Em 1995, integra a exposição "Portugal-Japão Mares Navegados II" apresentada em Lisboa. Em abril do mesmo ano, realiza a exposição individual "20 Anos de Brasil- Fragmentos Poéticos Fernando Pessoa", nas galerias internas do Centro de Convivência cultural de Campinas.
  Em 1996, a convite da Caixa Econômica Federal, realizou a exposição individual "Santos Lopes 20 anos de Brasil", comemorativa dos 105 anos da Avenida Paulista. Faz o monumento “Valinhos 100 Anos”.
  Em Setembro de 1997, foi o primeiro artista convidado para a série de exposições que celebraram os 100 anos da fundação Centro de Ciências Letras e Artes de Campinas. No mesmo ano, participa da Exposição "Volúpia da Cor" Galeria Barata em Lisboa - Portugal.
  Em 1998 a convite da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, faz o monumento “São Pedro pescador”, para o município de Mongaguá, no litoral Paulista.
  Em 1999, o seu trabalho é escolhido pela Compaq Computer Brasil para registrar, com uma peça exclusiva reproduzida em 100 exemplares, a fabricação do milionésimo computador na unidade Brasil. Em agosto do mesmo ano, faz a exposição “Telas Irreais”, na Galeria de Arte André, em São Paulo.
  Em maio de 2000, em Campinas, nas Galerias do Centro de Convivência Cultural. Em outubro de 2000 expõe na Biblioteca Municipal Rocha Peixoto na cidade de Póvoa de Varzim, em Portugal.
Em abril de 2001, também em Portugal, expõe na Casa do Brasil Pedro Álvares Cabral na cidade de Santarém. Em maio do mesmo ano, inaugura no Brasil, em São Paulo, o “Monumento à Cultura Democrática”, em homenagem ao Governador André Franco Montoro, que edificou a convite da Assembléia Legislativa. De novo em Portugal, realiza agora, em Setembro de 2001, uma exposição retrospectiva, em Abrantes, sua cidade natal.
Em maio de 2002, participa com sua mostra, dos "Encontros Luso-Brasileiros de Cultura", realizados em Serpa, no Alentejo. Neste mesmo ano, em Outubro, realiza exposição na Biblioteca Nacional de Lisboa, onde apresenta a mostra temática, "Fragmentos Poéticos de Fernando Pessoa". Em Maio de 2003 expõe nas galerias do convento de Santa Clara na cidade de Porto Alegre.
Em Julho de 2004 expõe  na Galeria Municipal do Museu Regional de Sintra. Em Maio de 2005, inaugura sua nova série, ”Releituras”- (Esculturas e desenhos sobre tela), na Galeria Municipal de Abrantes, expondo ainda em Setembro de 2005, também em Portugal, no espaço Cultural da Câmara Municipal de Castelo de Vide.
Em Setembro de 2006, apresenta no Brasil – São Paulo, no espaço Nova André Galeria a série “Releituras”, em caráter de retrospectiva das várias fases de seu trabalho e começa a fazer parte do acervo da Marcelo Neves Galeria de Arte em São Paulo.
Seus trabalhos integram coleções em Portugal, França, Inglaterra, Suíça, Estados Unidos, Brasil, Uruguai, Alemanha e diversos países africanos.